[Diário de Escritora]

Eu estava para lançar essa coluna há muito tempo, por diversas questões eu não fiz, mas hoje eu a inicio com um tema bem importante.

Ouvir um não nunca é agradável. Ele pode ter vários sentidos dependendo de quem o escuta. Eu não escrevo para lhe ensinar à ouvi-lo, tampouco para dizer-lhe que é preciso aceitá-lo. Hoje eu trago um pouco da minha “experiência” em relação ao meu primeiro não literário.

Sou uma escritora em constante crescimento, sei que tenho muito o que melhorar e sei que este não será primeiro. Fui indicada, por meio de votação,para seguir em um concurso de antologistas. O autor selecionado ganharia uma publicação tradicional, para expandir o conto e transformá-lo em uma história maior.

Bem, eu tenho um conto que tinha muita coisa para abordar e pouco espaço. O limite de caracteres nunca foi tão desafiador e frustrante quanto foi para mim ao escrever este conto em questão. A história ficou maior do que era para ser, ela merece e terá essa expansão.

Como os outros autores votaram em mim, e em mais quatro, para passar para etapa seguinte, e como eu achava que o meu conto tem uma premissa boa para ser expandido, eu nutria certa esperança.

Infelizmente, hoje eu recebi a notícia de que, o conto não só não seria o escolhido para ganhar a publicação tradicional, como também, que eu seria eliminada e não avançaria para as próximas fases.

Fiquei extremamente chateada com o fato. Me senti tão triste e estava tão ansiosa pelo resultado, que até dor física eu senti. Meu peito doía tanto que eu achava que teria um infarto.

Eu sei que não posso me desmerecer, preciso acreditar no meu potencial e seguir em frente. Os feedbacks foram encaminhados para os autores e agora o que tenho que fazer, é usá-lo para melhorar.

Meu conto ainda terá essa expansão, pois eu estava muito animada com a história. Ela precisa ser contada! Tenho que tirá-la da minha cabeça e fazê-la voar. Não terei um livro físico, mas ainda posso postá-la na Amazon, Wattpad ou em qualquer plataforma de publicação.

Eu chorei? Sim! Senti dor? Sim!

Fiquei magoada e frustrada, me achando a pior escritora do mundo,mas não posso deixar minhas questões psicológicas influenciarem em tudo o que eu ainda posso conquistar.

Se alguém ai estiver precisando de um conselho: Sinta! Chore, brigue, reveja! Você precisa sim sentir o que está em seu interior,mas não pode se boicotar, deixar-se abater e nunca mais tentar.

Se está passando por um momento deste, lembre-se: Nunca seremos tão bons em algo, que não terá mais nada que possamos aprender. Estamos em constante crescimento. Levanta a cabeça e conquiste o mundo. A vida é curta para ficar desperdiçando tempo e talento.

Espero que tenham gostado do post e da ideia da coluna. Trarei outros relatos e dicas sobre escrever, baseados na minha curta experiência pessoal.

Para dicas técnicas, não deixe de procurar os tópicos da coluna Dicas de Escrita. 

Se quiser dividir algo sobre algum não que você já recebeu, deixe aqui nos comentários e vamos trocar experiências.

Até a próxima.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s